Arquivo de junho, 2009

Caça as Bruxas – Por Adriano Siqueira

Posted in Contos on segunda-feira | 1 | junho | 2009 by Cavaleiro Valente

Medieval0086

Valente cavalgava em seu cavalo pela floresta quando de repente, escuta gritos de uma mulher. Ele levanta a espada e fala com bravura.
– Seja lá qual for o motivo deste grito eu a salvarei!
Galopando com muita velocidade ele encontra uma mulher de cabelos ruivos e roupas escuras correndo desesperada. Ele consegue alcançá-la e a segura pelos braços colocando-a em seu cavalo. Curioso ele pergunta:
– O que aconteceu? Por quê está correndo?
Antes dela responder Valente galopa para o centro da floresta e se esconde entre as arvores.
– Acho que aqui estaremos seguros!
Valente olha e fica encantado com a beleza da mulher. Seus olhos eram brilhantes e ela tinha um corpo escultural. Uma beleza encantadora. Ela olha para ele. Ainda estava com medo. Mesmo assim ela respira fundo e diz.
– Meu nome é Neican. Alguns homens entraram na minha casa. Pegaram todos os meus pergaminhos. Queimaram todos. Eles disseram que eu estava invocando o demônio. E que eu deveria ser queimada. Joguei um feitiço neles para cegá-los momentaneamente para que eu pudesse escapar e foi assim que você me encontrou.
– Então você é uma Bruxa?
– Sim! Parece que todos os homens daqui tem medo das mulheres que tem conhecimentos sobre a natureza e a lua.
– Eu já encontrei algumas bruxas boas e más. E as más eram tão belas quanto você, por isso se tentar jogar um dos seus feitiços em mim…
A Bruxa coloca os dedos perto dos lábios do cavaleiro e diz:
– Não sou má. Apenas uma mulher que tem curiosidade na arte da bruxaria. Meus trabalhos são para a natureza e para o bem estar da humanidade.
– Então por quê eles querem capturá-la?
– Porque o rei assim ordenou. Estes homens devem enforcar todas as bruxas que encontrarem.
– Sou um cavaleiro. Tenho meu rei mas não é desta região. Tenho certeza que reis não fariam isso a toa.
– Dizem que o rei daqui foi amaldiçoado, que ele perderia todas as batalhas por causa de um feitiço de uma bruxa! Então ele resolveu enforcar todas para quebrar esta maldição.
– Neican! Você precisa sair daqui! Ir para outro reino! Algum que tenha um rei que não seja louco.
– Eu não sei o que fazer. Eu estou tão sozinha. Minha família me abandonou, minhas amigas tem medo de mim.
– Valente a abraça tentando conforta-la e quando se olham eles se beijam.
O cavaleiro baixa a sua guarda por alguns instantes e alguém sorrateiramente desce de uma árvore e puxa rapidamente Neican do Valente e diz alegremente.
– Uma mulher… E com o sangue fresco.
O cavaleiro olha para o misterioso ser e percebe que ele tem caninos pontiagudos. Ele fica na posição de ataque e diz com fúria.
– Large esta mulher imediatamente ou cortarei a sua cabeça vampiro!
– Não se alarme cavaleiro. Em breve ela será uma vampira com o poder da eternidade e nenhum homem terá poder para lhe fazer mal.
Neican reage jogando um feitiço em uma árvore. Os galhos prender o vampiro.
Valente pega na mão de Neican da um tapa no cavalo que corre para um lado diferente do dele e eles correm pela floresta.
– Alguns soldados encontram os dois e o Valente luta com velocidade derrubando os homens dos cavalos. Mas eles eram muitos e conseguem segurá-los. Um dos soldados avisa:
– Pela ordem do rei! Esta bruxa deve ser enforcada imediatamente.
O casal estende as mãos tentado se tocar mas cada vez mais os soldados os distanciam.
– Neican! Não vai terminar assim eu vou salvá-la.
Um dos guardas pega um livro e começa a ler enquanto os soldados amaram a mulher e preparam a corda na árvore.
– Que esta bruxa queime pela eternidade e que a sua alma seja aprisionada neste livro que jamais deverá ser lido por uma mulher e que este livros seja enterrado junto com o seu…
Antes de termiar a frase o corpo do soldado é destroçado. O vampiro rasga o seu pescoço e se alimenta. Depois olha para o Valente e diz.
– Achou que uma simples árvore poderia segurar eternamente um vampiro cavaleiro?
Enforquem agora! – um dos soldados diz desesperadamente e os que a seguravam largam o seu corpo que rapidamente começa a cair com a corda no pescoço. O vampiro grita!
– Não Ela é minha!
O vampiro voa e a segura por alguns segundos ele morde o seu pescoço. Mas no momento que ele ia tirar a corda do seu pescoço uma lança atravessa o coração dos dois e eles caem.
Com o impacto o pescoço da Neican é quebrado e os corpos ficam balançando até que o corpo de Neican se transforma em gasoso e vai em direção ao livro que se fecha.

Valente fica um pouco atordoado com a rapidez do acontecimento e antes dos guardas prendê-lo o cavalo do Valente aparece em velocidade e ele consegue montar e fugir com o livro.

Continua…

Neican é personagem da Medye Platinun
http://andandocomestranhos.blogspot.com/